Abertura   Editorial   Colunistas   Contato  
 
     
 
 
   
  PSICANALISTA
POLÍTICO
  BOATOS E
FAKE NEWS
  RESENHAS
LITERÁRIAS
  FUTEBOL
DE VÁRZEA
  OPINIÃO DOS
PARCEIROS
  DIVULGAÇÃO
CIENTÍFICA
 
 
 

 

Blog Psicanalista Político
por Indianara Reis


Indianara Reis é estudante de Jornalismo da Universidade Federal Fluminense, mas quase se tornou uma aluna de Engenharia. Formada no técnico de Telecomunicações, identificou dentro dessa sua própria confusão, a sua paixão: comunicação social. Apaixonada por fatos políticos e questões sociais, tenta evoluir, a cada dia, na arte de questionar.






Se para Bolsonaro difícil é ser patrão no Brasil imagine ser empregado
Por: Indianara Reis em 14/12/2018

Como se não bastasse a conjuntura atual do país, acerca da precariedade nos muitos setores de trabalho, a ilegalidade de empresas, a retirada de direitos e a supressão de benefícios, o presidente eleito Jair Bolsonaro promete acabar com o Ministério do Trabalho e garante que a pasta não passa de um sindicato.

Em entrevista no Centro Cultural Banco do Brasil em Brasília, sede do governo em transição, Jair Bolsonaro indaga: “Essa pasta do Trabalho, ela é de recordações aqui que não fazem bem à sociedade. Funcionava como um sindicato do trabalho, e não como o Ministério do Trabalho. Nenhum trabalhador vai perder seus direitos, até porque todos estão garantidos no artigo 7º da Constituição. Nenhum trabalhador vai ser prejudicado, tendo em vista a não existência mais do Ministério do Trabalho.”

É expressiva a quantidade de mudanças que Bolsonaro já propôs ao país, no entanto nenhuma outra promete ser tão devastadora tanto quanto a exclusão do Ministério do trabalho. O órgão gerador de emprego e renda nasceu em 26 de novembro de 1930 por meio do decreto nº 19.433, assinado pelo Presidente Getúlio Vargas e administrado pelo Ministro Lindolfo Leopoldo Boeckel Collor, com a finalidade de beneficiar a mão de obra trabalhadora de forma justa.

Passou por diversas mudanças já que a pasta fazia parte do ministério da agricultura que, no entanto, pouco obtinha a atenção do governo na época, o que dificultava a ligação entre trabalho e renda. Com a criação do Ministério foi possível criar um órgão forte, com autonomia para apaziguar as relações entre proletariado e empresariado de forma a garantir a satisfação de ambas as partes.

Foi possível asseverar também uma organização sindical que pôde ser controlada pelo estado, melhorou o relacionamento entre patrão e empregado, regulamentou direitos trabalhistas, a modo que cumprisse reivindicações necessárias dos trabalhadores.

Após 88 anos da criação do Ministério do Trabalho é possível ver todas as conquistas que levaram décadas a serem conquistadas cair em ruínas após a posse do presidente recente eleito Jair Messias Bolsonaro. A junção dos ministérios da agricultura e do meio ambiente é mais um exemplo do colapso do programa de governo, no que resultará na queda da pauta de exportação agropecuária e no combate a agressão ao meio ambiente, já que cada pasta atende a assuntos diferentes.









   
Post anterior
Lei que proíbe o uso de canudos na cidade no Rio de Janeiro não funciona - Resultados de um sistema falho e de pouco diálogo com a população




 



Psicanalista Político
Boatos e Fake News
Resenhas Literárias
Futebol de Várzea
Opinião dos Parceiros
Divulgação Científica
 

Abertura
Editorial
Colunistas
Contato